Novos desafios e oportunidades no Observador!

Estou muito feliz de poder contribuir com o Observador Político agora também como blogueiro! Vou falar de tecnologia, Software e Cultura Livres, política e o que mais vier! Sou mineiro, de Belo Horizonte, que ama o Brasil. Trabalho pra uma empresa de fora, mas morar fora não quero!

Quando fiquei sabendo do lançamento do Observador Político, vários meses atrás, foi por meio de uma postagem do grande Paulo Rená que apontava um vídeo em que Pedro Abramovay descrevia como se deu o convite do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso para que participasse do conselho editorial. O espírito apartidário e plural que já se apresentava naquela fala, somado à grandeza dos nomes envolvidos me fizeram ficar ansioso pelo dia do lançamento.

Não me escaparam do pensamento, é claro, os desafios que viriam: um site como esse, tendo como principal idealizador FHC, visto como um dos principais líderes de um dos maiores partidos do Brasil contemporâneo, que gerou tanta controvérsia, admiração e rejeição poderia ser visto meramente como um espaço de oposição e espantar necessárias vozes que representassem o grande espectro de opiniões da sociedade. De outro lado, existia também a possibilidade de que não se escutasse os apelos de evitar caneladas, fazer um jogo limpo. Que o Observador acabasse se tornando mais um espaço de discussões sem conteúdo ou de simples reclamação inespecífica, sem aprofundamento.

Mas eu sempre fui um otimista que acredita na capacidade de fazer acontecer aquilo em que se acredita e como tal me cadastrei assim que fiquei sabendo que estava disponível o cadastro para colaborar, debater, convencer e ser convencido, procurar ajudar a fazer com que o debate fosse feito da linha da cintura pra cima. E fiquei cada dia mais feliz, vendo grandes debates acontecendo, com argumentos que nunca tinha visto antes, com respeito e descontração e com a participação de pessoas com as mais diversas opiniões e preferências nas grandes questões da política.

A eventual canelada e as argumentações falaciosas e “mais do mesmo” se fizeram presentes, é claro, mas acho que tivemos um bom começo e espero que com o tempo a aprendizagem, na prática do dia-a-dia possamos melhorar mais e mais a nossa capacidade de qualificar o debate político. Acredito que é possível sim que o Observador se torne um divisor de águas: que exista a discussão antes e depois do Observador Político. Depende de nós, observadores, fazer isso acontecer. Vamos que vamos!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *